quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Eu fui! Londres, Inglaterra. Parte 2

Olá :)

Continuando a saga em Londres, vou falar do segundo e terceiro dias na Terra da Rainha :)

Circulando em Londres
Circular na capital inglesa pode ser uma tarefa árdua (e chata) se você não analisar rapidinho o mapa e o layout da cidade. Embora pareça, não é complicado ver aquele mapa com um monte de cores pra todo lado e a cidade não é tao grande quanto parece! As principais atrações estão relativamente próximas e para quem gosta de caminhar MUITO (eu!!) dá para fazer boa parte a pé e admirar a arquitetura da cidade, as pessoas, a agitação. Mas isso tomará um bom tempo. Mesmo as atrações mais distantes, como Greenwich, não são distantes como aparentam. De qualquer maneira, eu recomendo utilizar um passe, pois circular nos ônibus ou metrô, lá chamado de 'tube' ou 'underground' pode ser bem caro, £2.20 e £4 por viagem respectivamente. Eu utilizei o London Underground Travecard, paguei £6.60 por dia com direito a andar ilimitadamente no metrô e ônibus dentro da área 1 e 2 de Londres, ou seja, no centro e arredores onde tudo acontece.

Trânsito
Se por um lado o metrô é rápido, eficiente e bastante lotado (e apertado pois os túneis são bem antigos), por outro os ônibus são bem confortáveis mas podem tomar um bom tempo parados no trânsito. No metrô não se vê nada (e nem ninguém pois quase não há contato visual) e no ônibus dá para ir na parte de cima e tirar várias fotos, o que pode ser vantagem na chuva. E ela vai estar lá! ^^
Eu andei muito de metrô, cansei muito também porque nem todas as estações possuem escadas rolantes e no último dia passei a madrugada inteira andando de ônibus a toa até dar a hora de ir pro aeroporto. Foi bem legal porque deu para ver a vida noturna, os bêbados indo para casa e até me perdi. Fui parar em Wimbledon, mas o motorista foi bem legal e me deixou em um subúrbio londrino bem bacana, Kingston Upon Thames. De lá voltei para Londres e fui para o aeroporto, e meu passe nem valia naquela região mas ele disse que tudo bem. Esses acontecimentos fazem a viagem no mínimo diferente e inesquecível :)

Vamos às nossas fotos ^^
Modelo do passe de metrô, ótima relação custo x benefício. source
Esse foi um dos pontos altos da viagem, a casa em que viveu George Orwell. Para quem não conhece ele é autor de grandes obras como "A Revolução dos Bichos" e "1984", escrito em 1948 e que serviu de inspiração para o Big Brother. Vale a pena ler ou assistir ao filme. A casa dele fica em Um Lugar Chamado Notting Hill :)
Portobello Road, imortalizada pelo filme, mas já famosa pelo seu mercado muito tempo antes.
Uma livraria famosa, mas que na verdade nao é a do filme.
Deixando Notting Hill para trás, segui para Greenwich com o mesmo passe de metrô, mas utilizei o DLR, outro sistema de trens londrinos. Vale bem a pena sentar lá na frente, não há maquinista e o trem faz um tour pelas Docklands, uma área nova onde estão situadas grandes corporações e a famosa arena do O2 fica pertinho também.
Greenwich, aquela mesma que a gente estudou na escola! \o/
O ponto alto de Greenwich é o Observatório Real, onde passa o meridiano. Para chegar lá basta seguir as plaquinhas desde a estação, não leva mais do que 10 minutos e no caminho há várias lojinhas e até um mercado de rua! Para chegar ao observatório basta entrar no jardim do Museu Marítimo (Grátis!) e ao lado ainda fica a Casa da Rainha (Queen's House), mas não é da Elisabeth (rs), leia mais sobre a casa aqui.
Ali ao lado fica esse singelo jardim em homenagem às vítimas do Titanic.
Para quem gosta de animais, perdo da "bela" ladeira para chegar ao observatório (sim, ele fica no alto), há vários esquilos bem legais que chegam perto de você, se tiver algo para oferecer, claro! rs
Por fim, o Observatório Real e o Meridiano de Greenwich. Por convenção o meridiano divide a Terra em leste e oeste, enquanto o Equador divide em norte e sul. Ainda serve para medir as distâncias em longitude e a partir dele obtemos os fusos horários.
Não podia faltar, um pé no lado leste e outro no lado oeste da Terra! ^^
Vista do alto do Observatório Real, lá embaixo fica a Casa da Rainha, aofundo as Docklands e o Tâmisa.
Pessoas esperando a estação abrir novamente pois já está bastante lotada. Quando isso ocorre eles fecham e temos que aguardar. Ao contrário do Brasil, ninguém se empurra e esperam calmamente conversando ou em silêncio lendo ou ouvindo música, audio-book, etc.

Agora sim a casa da Rainha Elisabeth, o Palácio de Buckingham. Bati palmas mas ninguém atendeu, acho que não estavam em casa.
Bela London Eye a noite. Pelo menos tinha parado de chover.
Para finalizar, no último dia, dia do meu aniversário por sinal, fui ao British Museum. Fica perto da Oxford Street e é grátis. Como estava de mala paguei uma taxa de £1.50 para guardar e o funcionário perguntou logo para que time torcia e bateu o maior papo na fila! ahaha
Essa peça do museu é orgulho para mim que sou tradutor, a Pedra de Rosetta, objeto mais visitado no museu.  Essa pedra contém um decreto de 196 a.C promulgado em Mênfis em nome do rei Ptolomeu V. Há duas traduções e foi crucial para decifrar os hieróglifos egípcios e quem conseguiu foi o francês Champollion. Esperto ele :)
Fim de tarde e o sol apareceu em Londres. Parada para uma bela foto e para ver o pôr do sol no Tâmisa.
Finalizando, algo irônico mas que gostei, esse sapato usado por um cidadão no metrô. Gostei bastante, se alguém souber onde vendo eu quero. Pode não ser bonito, mas é bem original.
Bom, Londres é cidade para uma vida inteira. Se tiver oportunidade vá, volte e volte sempre. Haverá sempre algo novo a ser descoberto, afinal são muitos reinados, guerras, conquistas, derrotas e o Reino Unido se mantém firme e forte.

Até a próxima parada!

2 comentários:

Mateus disse...

Shusahusahsu... Gostei dos sapatos. Infelizmente não sei onde vendem.

Vi seu perfil. Em seus filmes favoritos, consta "OS OUTROS". Também gosto muito deste flme. Certa vez passou na globo, eu estava em viajm à São Francisco do Sul. Já não lembrava mais o nome deste filme. Durante anos procurei por ele na internet, locadoras, etc., mas nada. Até que um dia achei o nome. É um dos meus filmes favoritos.

Achei legal seu post. Você é viajado, hein? É brasileiro mas mora fora?

Caso queira me responder, deixe-me um comentário em http://www.mateuscordova.blogspot.com

Vou seguir seu blog, gostei.

Obrigado.

Sávio disse...

Olá Mateus!

Obrigado pelo comentário, respondi no seu blog.

Abraços

Sávio